sexta-feira, 16 de maio de 2014

Acho que todo mundo já conhece esse livro né? Mas é que ele é um dos meus queridinhos, então tinha que escrever sobre ele aqui. Divergente virou filme e sua estreia aconteceu no dia 18 de abril no Brasil, mas, mesmo quem já viu o filme, não pode deixar de ler o livro, principalmente quem viu o filme e gostou, o livro sempre é melhor!

Título: Divergente

Autor: Veronica Roth

Série: Divergente

Páginas: 502

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Divergente é o primeiro livro da trilogia de mesmo nome. A história se passa em um futuro pós apocalíptico, numa cidade, onde as pessoas estão divididas em cinco facções e o que define a facção que cada um pertencente é a virtude que prevalece na pessoa. A Abnegação é para aqueles que priorizam a vontade do próximo, para os altruístas; Amizade, para os que praticam a bondade, o perdão e procuram a paz; Audácia, para os corajosos e destemidos; Erudição, para sábios, inteligentes e curiosos; Franqueza, para pessoas sinceras e imparciais. Existe também os sem-facção, que são aqueles que não se encaixam em nenhuma das facções existentes. Cada facção acreditava em motivos diferentes que levaram ao "fim do mundo", a Abnegação, culpa o egoísmo, a Amizade culpa a guerra, a Erudição a ignorância, a Franqueza, a desonestidade e a Audácia, a covardia. Beatrice "Tris" Prior completa 16 anos e, como todos os outros jovens da sua idade, ela tem que passar por um teste de aptidão, que dirá a qual facção ela pertence. Mas o que acontece quando o resultado do teste é inconclusivo?

"'Pessoas que recebem esse tipo de resultado são...' ela olha para trás dos ombros como se esperasse alguém aparecer atrás dela. '... são chamados... Divergentes.' Ela fala a última palavra tão rapidamente que eu quase não ouço e seu olhar tenso de preocupação retorna. Ela caminha ao redor da cadeira e se aproxima de mim. 'Beatrice,' ela fala, "sob nenhuma circunstância você deve dividir essa informação com alguém. Isso é muito importante.'”

No início do livro, vemos como é a vida de Tris antes do teste de aptidão e conhecemos um pouquinho da sua facção de origem. Após fazer o seu teste, Tris descobre que é Divergente, ou seja, tem aptidão para mais de uma facção, mas ela tem guardar esse segredo, pois ele pode custar a sua vida. Além de lidar com essa descoberta, ela ainda tem que escolher em qual facção passará o resto da sua vida - uma escolha nada fácil. Nós vemos sua vida, que antes era pacata, se transformar em uma aventura diária.

Além de Tris, outro personagem com grande destaque é Quatro, um rapaz misterioso, que, com o tempo, acabou se tornando o meu preferido. Vale mencionar também Christina, Will e Tori, pois eles têm um espacinho no meu coração, haha. O que eu achei legal que a autora fez (diferente de muitos(as) por aí), é que ela não criou "príncipes" e "princesas" e nos fez apaixonar por eles por causa de suas belezas e perfeições, a todo momento é apontado críticas a aparência dos personagens - principalmente de Tris - e, o que destaca neles, são suas habilidades, inteligência e caráter.

Grande parte do livro é narrando a rotina dos testes dos "iniciados" da facção escolhida pela Tris, tem bastante ação e é muito envolvente. Veronica Roth conseguiu deixar o livro tão interessante que só a parte da iniciação já estaria ótimo pra mim, mas ela ainda fez mais. Ela não poupou ação... nem vidas.
Há algumas cenas românticas, mas esse não é o foco da história.

"'Eu posso estar apaixonado por você.' Ele sorri um pouco. 'Mas estou esperando até que eu tenha certeza para te dizer.'"

O final... Ah, o final foi incrível! Acho que seria impossível fazer um final melhor. Não consegui me desgrudar do livro do início ao fim, eu o li em dois dias de tão viciante que é e, assim que terminei, já emendei a leitura de Insurgente - a continuação - pois não aguentei de curiosidade. Não sei se é porque eu adoro distopia, mas Divergente foi o meu livro favorito do ano passado e, quem gosta desse gênero, TEM que ler essa saga, ela é simplesmente demais!

0 comentários:

Olá!

Olá!
Meu nome é Débora, sou aquariana e tenho 23 anos. Adoro ler, sou apaixonada por Harry Potter, viciada em séries e música, futura moradora de Londres e extremamente sonhadora. Google+

Seguidores

Pesquisar este blog

Follow by Email

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.